Embaixador de Portugal junto da Santa Sé preside à apresentação do livro: “Homem de Deus para a Humanidade” – Padre Joaquim Alves Brás, em Roma

Em Sessão solene presidida pelo Embaixador de Portugal junto da Santa Sé em Roma, Doutor António de Almeida Lima, no salão nobre do Instituto Português de Santo António em Roma (IPSAR), foi apresentado, dia 11 de janeiro, o livro: “Homem de Deus para a Humanidade” – Padre Joaquim Alves Brás 1899-1966”, pelo próprio autor, Mons. Arnaldo Pinto Cardoso, Postulador da Causa de Beatificação e Canonização do Venerável Padre Joaquim Alves Brás.

Por entre muitos convidados portugueses e italianos, destacamos a presença da Senhora Embaixatriz Doutora Vanda Maria de Almeida Lima e Conselheiros da Embaixada, Dom Carlos Azevedo - Delegado do Pontifício Conselho para a Cultura, Mons. Ferreira da Costa da Secretaria de Estado do Vaticano, Pe. Saturino Gomes do Tribunal da Rotta Romana, Pe. José Alfredo Patrício - Reitor do Pontifício Colégio Português e tantas outras personalidades e amigos que participaram neste evento, com as Cooperadoras da Família.

A sessão solene foi aberta e conduzida por Mons. Agostinho da Costa Borges, Reitor do IPSAR, que expressou o seu contentamento por receber tão significativo evento.

Depois, o Senhor Embaixador enalteceu a pessoa e a obra do Venerável Padre Brás, exemplo de humanidade, da alma cristã, de um português que pensou grande, que criou uma Obra para o bem da pessoa humana, da família. Disse sentir-se muito honrado por presidir a esta sessão, que tão bem se enquadra na atividade religiosa e cultural do Instituto.

Mons. Arnaldo Pinto Cardoso falou da presença do Padre Brás em Roma e da sua profunda comunhão com a Igreja, com o Papa. Quando o Padre Brás fez a 1ª viagem a Roma, disse, havia quase trinta anos que trabalhava nas suas Obras. Era o ano de 1960. Durante o mês de outubro fez uma viagem de 15 dias à cidade eterna para defender o estatuto de Instituto Secular para a Obra Pia das Cooperadoras da Família. Portanto, vir a Roma para o Pe Brás não era um sonho de vida mas de Missão. Nestas démarches em Roma, tanto em 1960 como em 1963, Mons. Brás pôde contar sempre com o apoio dos Reitores do Pontifício Colégio Português: Mons. João Saraiva, seu antigo condiscípulo, e Mons. Manuel Cardoso. Destacou depois na missão de Mons. Brás a vertente de “formador de sacerdotes” e defensor das empregadas domésticas e da família que estava sempre no seu horizonte.

Apresentou depois a finalidade e estrutura da presente Biografia: na primeira parte trata “a vida, o homem e a doutrina”. É a parte mais longa e que explica as que se lhe seguem; a segunda parte dedica-se às Obras que fundou, definindo a identidade própria de cada uma; a terceira parte é uma reflexão teológico-pastoral sobre aquilo que ele fez e ensinou. Mons. Cardoso sublinhou ainda a importância dos nove anexos constantes desta biografia para um conhecimento mais aprofundado do Pe Brás e da sua obra.

Após a intervenção do autor houve tempo para fazer perguntas. Estas incidiram sobre o andamento do Processo de Canonização. Foi um momento muito agradável e elucidativo.

Por último, Maria de Fátima Baptista, Vice-Postuladora, agradeceu a todos os presentes e de uma forma muito especial ao Senhor Embaixador que se dignou patrocinar este evento e presidir à sessão, assim como as palavras de apreço pela pessoa e obra do nosso fundador. Agradeceu também a presença da Senhora Embaixatriz e a Mons. Borges, Reitor do Instituto, pela sua disponibilidade e empenhamento na preparação e realização desta atividade. A todos augurou um ano de graça e paz, sob a proteção do Venerável Pe Brás.

No final, passou-se à sessão de autógrafos. Foram muitos que adquiriram o livro que entretanto esgotou. Aguardamos nova edição.

Texto: Deolinda Duarte