Família Blasiana encerra em Fátima Celebrações dos 50 anos da morte de Monsenhor Alves Brás

Mais de duas mil pessoas estiveram em Fátima na Peregrinação Internacional que marcou o encerramento das celebrações dos 50 anos da morte do Venerável Pe. Joaquim Alves Brás.

A manhã do dia 19 de junho ficou marcada pela celebração eucarística junto de Nossa Senhora de Fátima. D. José Cordeiro, Bispo da diocese de Bragança - Miranda presidiu à celebração que contou com membros da Família Blasiana, colaboradores e amigos, que chegaram de todo o país e da vizinha Espanha, onde as Cooperadoras da Família também celebram este ano 50 anos de presença.

À tarde, o Centro Pastoral Paulo VI acolheu a festa de encerramento de um Ano Jubilar que foi fazendo memória daquele que ficou conhecido como o “apóstolo da família”. O anfiteatro, com mais de dois mil lugares, ficou repleto de cor e alegria com as crianças dos equipamentos sociais, familiares, amigos, associadas e com todos aqueles que se quiseram juntar à Família Blasiana (ISCF - Instituto Secular das Cooperadoras da Família, OSZ - Obra de Santa Zita, MLC - Movimento por um Lar Cristão, CCF - Centro de Cooperação Familiar e Focos de Esperança).

Depois das palavras de boas-vindas proferidas pelas responsáveis do ISCF, da OSZ e MLC chegava a primeira surpresa da tarde. Para assinalar o encerramento das celebrações dos 50 anos da morte de Monsenhor Alves Brás era apresentado ao público o livro “A história do menino Joaquim”. Um livro dirigido a um público infantojuvenil que conta a Vida e Obra do Pe. Joaquim Alves Brás.

No âmbito do encerramento do Ano Jubilar, foi também apresentado um hino de homenagem a Monsenhor Alves Brás que canta os valores da família.

A festa de encerramento contou ainda com a leitura de uma mensagem enviada pelo Papa Francisco para esta ocasião e uma conferência proferida por Monsenhor Vitor Feytor Pinto, um homem que privou com o Pe. Brás.

Mas esta foi uma festa de todos e para todos. De norte a sul do país (e de Espanha) vieram dezenas de autocarros. Partiram dos locais onde as Cooperadoras da Família desenvolvem a sua ação e missão: Portalegre, Aveiro, Figueira da Foz, Porto, Castelo Branco, Lisboa - Estrela, Póvoa do Varzim, Coimbra, Braga, Lisboa - Penha de França, Carcavelos, Faro, Casegas, Covilhã, Fátima, Viseu, Guimarães, Guarda, Elvas, Funchal e Madrid.

Cada localidade trazia uma pequena representação para assinalar o encerramento do Ano Jubilar. Pequena mas cheia de significado. Há media que desfilavam pelo palco do Paulo VI iam deixando uma letra que ia construindo um grande mural que tinha no centro o mapa-mundo com os continentes onde as Cooperadoras da Família estão presentes: Europa, América e África. No final, o trabalho de todos formou o lema deste Ano Jubilar: “Pe. Brás - um Coração Compassivo e Empreendedor”.

Por entre as inúmeras mostras de talento e criatividade houve música, dança e poesia que encheu o Centro Paulo IV de cor e alegria numa homenagem aos valores que pautam a ação e a missão da Família Blasiana.

Um espetáculo que foi possível graças ao envolvimento de centenas de pessoas e que contou com membros da Família Blasiana, colaboradores, familiares e utentes dos inúmeros equipamentos sociais espalhados pelo país.

Um agradecimento especial aos mais pequenos vindos das Creches e Jardins de Infância das Obras de Santa Zita e do Centro de Cooperação Familiar de Carcavelos que encheram o centro Paulo VI de cor e alegria e aguentaram uma longa jornada de homenagem a Monsenhor Alves Brás.

Texto:IM/Jornal da Família

Ver aqui galeria de imagens