JOAQUIM ALVES BRÁS, DE VOLTA À SUA TERRA NATAL

É verdade. Monsenhor Joaquim Brás, natural de Casegas, palmilhou caminhos que passam pelo Sobral de S. Miguel, Orondo, Silvares, Paul, Unhais da Serra, Tortosendo, Fundão, entre outras localidades vizinhas.

E decidiu agora fazer uma visita à sua Terra Natal. Haverá alguém que ainda se lembre da sua figura, ou, pelo menos, conheça algo da sua vida e ação? Ele é um filho das “Terras da Beira”, que deram à sociedade ou à Igreja, tantos personagens ilustres. Quem não se orgulha de ter um filho da sua terra, que se tornou famoso? Um conquistador, um sábio, um letrado, um benfeitor, um santo? São pessoas que morrem sem morrer, quer dizer, que permanecem para sempre na memória dos seus conterrâneos que, por isso, os querem tornar conhecidos de outras pessoas, de perto ou de longe.

Monsenhor Brás é, pois, um desses personagens ilustres, que não só permanece na memória, mas também no coração dos que o conheceram quando ainda peregrinava neste mundo. Porém, agora que está junto do Pai, quer continuar vivo, presente e atuante, entre os seus. Daí a razão desta sua visita.

Quando? Talvez lá para a semana de 9 a 16 de Março.

Quem irá ele visitar? Como? Será que todos o podem e querem ver e ouvir?

Entretanto poderíamos pensar numa frase, à maneira de slogan para a sua receção. Que tal esta: “Monsenhor Brás, vem ajudar-nos a construir um mundo de justiça e paz”!

Ficam as questões. Fica a expetativa.

Brevemente daremos mais notícias e aguardamos também as vossas.